Facebook

Arquivo de dez/2017

21
18/dez/2017

A importância da escola de educação infantil

18_12

Embora algumas pessoas não concordem, a educação infantil traz muitas vantagens para a criança. Além de ajudar a família a criar uma rotina, os pequenos também desenvolvem sua própria rotina na escola. Aprendem a dividir os brinquedos e a esperar sua vez, além de terem acesso a nutricionistas, pedagogas, professores de música e dança e até psicólogas. Isso sem falar das atividades dirigidas e pensadas para cada etapa de desenvolvimento das crianças. Claro que todas essas opções não estão disponíveis em todas as escolas e por isso a escolha da deve ser feita com tempo e cautela.
Visite a escola em diversos horários diferentes, pergunte pela formação dos professores, pela equipe pedagógica e filosofia de ensino. Todos esses itens influenciam muito na educação que seu filho vai receber.
Também procure se informa se a escola também tem alguma essência religiosa, pois provavelmente isso fará parte da rotina dos seus filhos. Se conhecer pais que já utilizam os serviços daquela escola, ainda melhor. Nem sempre escola privada é sinônimo de qualidade.
Um item muito importante a se avaliar é o espaço físico, tanto interno quanto externo, pois será neste local que seus filhos vão passar boa parte do dia. Contar com segurança e é indispensável.
E lembre-se: segundo a Resolução CNE/CEB Nº 5/2009 art. 5º, § 2º, é obrigatória a matrícula na educação infantil de crianças que completam 4 ou 5 anos até 31 de março do ano em que ocorrer a matrícula. Educação é o alicerce para uma vida feliz.
#MeuFofinho #CriançasMaiorTesouro

21
05/dez/2017

A voz de fofura não é por acaso.

11_12_4
Ao ver aquele sorrisinho lindo, os olhos redondinhos e as bochechinhas imensas é muito fácil cair no diminutivo ou se apropriar dos termos criados pelos próprios pequenos. Peziiiinnhos, papaaa, banhiiiinho, lindinhuuuu. Não adianta negar: é quase impossível resistir à fofura.

Mas pense bem: isso é realmente uma coisa positiva para o desenvolvimento do seu bebê?

Tatibitate. Além de um nome complexo, este comportamento tão comum embasa pesquisas que buscam definir sua origem o e as consequências no desenvolvimento da linguagem na criança. Os animais são um bom exemplo no caso da origem: quando uma mãe lobo vai falar com seu filhote, ela muda um pouco a forma de falar para ser mais facilmente identificada em meio a uma matilha muito grande.

Quanto às consequências: pode parecer chato, mas isso não faz nada bem para o seu bebê.

Quando pronuncia palavras no diminutivo, ou usa a forma como a criança tenta falar para facilitar a compreensão entre mãe e filho, você dificulta a aprendizagem. Evite este hábito e não permita que termos como papa, “nanan” e outras expressões permaneçam no vocabulário da criança por muito tempo.

Todas as palavras aprendidas de maneira errada terão que ser reinterpretadas futuramente, atrasando o conhecimento e o desenvolvimento da comunicação oral da criança.